Mês: agosto 2017

Comunicação CAU/SC

O arquiteto catarinense Emerson da Silva (Membro do Conselho da IFHE) está no Rio de Janeiro onde toma posse da presidência da Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Edifício Hospitalares. A solenidade de posse ocorre nesta terça-feira, 29 de agosto, durante IFHE Rio 2017.

A programação do evento prevê o Seminário Internacional “Segurança para Pacientes em Profissionais de Saúde no Ambiente Hospitalar”, além de workshops para os dias 29 e 30 de agosto.

Nos dias 31 de agosto de 1 de setembro ocorrem visitas técnicas e culturais no Rio de Janeiro. “A realização do Seminário Internacional IFHE 2017 no Rio de Janeiro constitui-se em um importante marco na história de nossa associação. Fruto da crescente participação e representatividade da ABDEH no cenário internacional.
Acreditamos que, em especial neste complicado momento por que passa nosso planeta, com a (re)construção de muros, eventos como este Seminário Internacional se tornam ainda mais imprescindíveis, por proporcionar o necessário intercâmbio e socialização de conhecimentos fundamentais para o desenvolvimento humano”, destaca o arquiteto Marcio Nascimento de Oliveira, atual Presidente da ABDEH.

O IFHE Rio 2017, que tem como tema “Segurança para Pacientes em Profissionais de Saúde no Ambiente Hospitalar” acontece entre os dias 27 de agosto e 1 de setembro no hotel Rio Othon Palace, em Copacabana.

A Federação Internacional de Engenharia Hospitalar (IFHE) é uma entidade mundial que tem por membros as associações nacionais de arquitetura e engenharia hospitalar e visa promover a concepção, o projeto e a gestão seguras, eficientes, eficazes e ambientalmente sustentáveis das edificações e instalações para serviços de saúde.

 

 


Publicado em Categoria Sem categoria

Getting Things Done: Evolution of the Built Environment in Vorarlberg.

Divulgação
Getting Things Done.

Esta exposição foi desenvolvida com o propósito específico de apresentar a “arquitetura do Vorarlberg (uma região na Áustria)” a uma audiência decididamente internacional, sob a forma de um show itinerante que viaja para os locais dos trinta e dois Fóruns Culturais austríacos localizados em todo o mundo.

O projeto é sob curadoria de Wolfgang Fiel e começou a rodar o mundo em 2014. Até hoje, já foi apresentado em 17 países em mais que 25 locais diferentes.

Com um total de mais de 230 projetos e cerca de 700 ilustrações fotográficas, a exposição oferece uma visão abrangente de um movimento com suas origens no final da década de 1950 e início dos anos 1960, que foi rotulado de Vorarlberger Bauschule (Vorarlberg School of Building).

Não somente a arquitetura em si, como a cultura de construção e do design são abordados de perspectivas diferentes que permitem aos visitantes terem uma experiência única da complexidade e transparência da arquitetura de Vorarlberg.

A exposição procura as diferenças e semelhanças da cultura de construção de Vorarlberg na imagem global e quer destacar estes resultados em categorias como Rethinking Nature, Objects of Desire, Smart Living & Working e Art & Building. Desta forma, o projeto desafia clichês e permite pluralidade que é essencial para gerar inovação.

A exposição conta com uma variedade de técnicas de expressão na construção apresentadas, sejam elas modos de trabalhar ou morar, de projetos particulares ou públicos.

Como recurso central, o projeto usa uma série de entrevistas, conduzidas pelo curador Wolfgang Fiel, que apresentam os protagonistas da cultura de construção de Vorarlberg. A exposição recebe apoio não somente do Ministério Federal de Relações Exteriores da Áustria e do governo regional de Vorarlberg, mas também das instituições austríacas Vorarlberg Museum, Werkraum Bregenzerwald e Vorarlberg Travel.


exposição arquitetura da madeira mhsc

A exposição Arquitetura da madeira: um olhar sobre o patrimônio cultural lageano reúne registros fotográficos realizados pelo acadêmico de Arquitetura e Urbanismo Rafael Krahl, que convidam o espectador a refletir sobre o que valorizamos como patrimônio arquitetônico.

Através do olhar sensível e observador do artista, aliado à experiência de coleta e troca de informações com a população local, o conteúdo exposto é uma ação inédita de registrar a arquitetura popular da cidade de Lages, caracterizada pelo sistema construtivo de madeira, sob o entendimento que esses exemplares de diversos períodos, mas principalmente remanescentes do ciclo da madeira (1930-1960), constituem o patrimônio cultural da região.

A ideia

A exposição surgiu em meados de 2016, a partir de uma atividade acadêmica do curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIFACVEST no município de Lages – SC, onde no momento Krahl cursava a disciplina Técnicas Retrospectivas, ministrada pela professora Lilian Fabre.

O desafio proposto pela disciplina era de o aluno selecionar um bem cultural que, na visão dele, se configurasse como patrimônio cultural local, justificar a atribuição de valor e finalmente realizar uma ação prática que promovesse a valorização e preservação daquele bem cultural.

Por parte do acadêmico surgiu a proposta de selecionar a arquitetura de madeira, devido a seus valores históricos e arquitetônicos mas, principalmente, os valores simbólicos, já que é um dos elementos materiais formadores da identidade e memória coletiva da população da região da Serra Catarinense. Infelizmente, não há na cidade nenhuma ação de preservação ou valorização da arquitetura de madeira, nem de exemplares individuais nem em conjunto, tampouco uma continuidade na atualidade de construção de habitação com esse sistema construtivo.

Segundo a análise e percepção do acadêmico, um dos fatores que acarretam nessa desvalorização é a invisibilidade desse conjunto arquitetônico na cidade como um todo, e foi para rebater essa situação que Krahl se propôs a retratar tais exemplares a partir de sua câmera fotográfica e de expor com o mesmo entusiasmo que vemos cotidianamente exposições do patrimônio arquitetônico consagrado.


Divulgação
Centro Sapiens
Fórum Internacional de Cidades Sustentáveis em Olinda

O projeto do Centro Sapiens, de Florianópolis, representou a região Sul no país no ‘Fórum Internacional HOJE Implementando Cidades Sustentáveis’, realizado entre os dias 25 e 27 de julho em Olinda (PE). Considerada um hub para mudanças no centro histórico leste da capital catarinense, a iniciativa foi classificada entre as dez reconhecidas como ‘Boa Prática Urbana’ dentre as inscritas na chamada pública realizada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do estado (CAU/PE), por estar alinhada com conceitos como sustentabilidade e transformação urbana abordados pelo evento.

O projeto foi um dos seis que receberam Menção Honrosa, na seleção realizada pela Comissão de Diretrizes Estratégicas do Conselho, pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e pela coordenação do Fórum. E foi apresentado na exposição montada no estande do CAU/PE ao público participante do evento: gestores públicos, arquitetos e urbanistas. “Percebemos a grande preocupação dos participantes do Fórum com as questões urbanas, discutindo os rumos de melhorias das cidades e integrando as boas práticas escolhidas”, conta a Profa. Clarissa Stefani Teixeira, coordenadora adjunta do Centro Sapiens.

O Centro Sapiens foi criado há dois anos, idealizado pelo Sapiens Parque e pela Universidade Federal de Santa Catarina, com o objetivo de promover ações para tornar Florianópolis uma cidade mais criativa, humana e viva, especialmente em seu centro histórico. Conselho de Arquitetura e urbanismo de Santa Catarina, Governo do Estado, a Prefeitura de Florianópolis e diversas instituições – empresariais, de ensino e de pesquisa – fazem parte do Comitê Gestor. A coordenação é feita pelo Prof. Dr. Luiz Salomão Ribas Gomez.

“O reconhecimento a essas iniciativas é uma forma de mostrar que a transformação urbana já começou”, disse o presidente do CAU/PE, Roberto Montezuma. O Fórum reuniu três mil pessoas, tendo, como tema principal, a Nova Agenda Urbana da ONU – a qual ganhou força com a formalização de um acordo de cooperação técnica assinado entre a ONU-Habitat, o CAU/BR e a Amupe, na abertura do evento. A proposta é constituir novas formas de apropriações por meio do processo de revitalização urbana, transformando espaços físicos e atribuindo-lhes conteúdos sociais, econômicos e culturais com foco na criação de ambientes propícios ao empreendedorismo, à criatividade e à inovação.

O Movimento Traços Urbanos

O Movimento Traços Urbanos é considerado uma das iniciativas de caráter inovador e criativo das quais o Centro Sapiens participa. As demais ações apresentadas são o Mapa da Economia Criativa, o qual apresenta os negócios inovadores e criativos localizados na porção leste do centro histórico de Florianópolis; a Agenda Criativa, que engloba todos os eventos que estão acontecendo no Centro de Florianópolis; o projeto Viva a Cidade, feira que envolve atividades culturais que atraem pessoas e movimentam o comércio local; a pré-incubadora e coworking Cocreation Lab, localizado no Museu Escola da Catarinense (MESC); a Rota da Inovação; e o projeto de criação de uma sala de cinema popular no centro histórico, em parceria com o Conselho Criativo de Sala de Cinema de Florianópolis.