Publicado em

Foto: Artur Hugo da Rosa

“Ninguém ocupa e mora nessa situação porque quer, mas eu sei que tudo vai melhorar”. Os estudantes e arquitetos do curso de formação em Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social, que o CAU/SC está realizando de 17 a 20 de setembro, foram recebidos nesta quarta-feira com a fibra e a resiliência de Celma de Lima, líder da comissão de moradores da área de reintegração de posse da Servidão Lageanos, na comunidade da Serrinha, em Florianópolis. A área foi doada pela UFSC e depois de anos de disputa judicial está em processo de regularização.

Assim como foi feito no primeiro curso em Chapecó, no mês de agosto, a visita técnica orientada é parte essencial do curso e apresenta a realidade de moradias em situações precárias de uma parcela bastante significativa da sociedade. “É um laboratório que serve para ver a realidade dessas regiões e pensar fora da caixa, sem preconceito. Os cursos de arquitetura são muito voltados para situações ideais, e na assistência técnica nós vamos encontrar situações que não vão ser resolvidas com a metodologia de projetos ensinadas, é preciso criatividade”, explica Cláudia Pires, arquiteta e urbanista que ministra o curso.

Professores do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSC e o Programa de Educação Tutorial (PET-ARQUFSC) contribuíram na visita, em que assistentes sociais, advogados, pesquisadores de mestrado e doutorado, estudantes, técnicos do poder público e profissionais da arquitetura puderam conversar com famílias e entender suas demandas e as complexidades da cidade real.
Divididos em grupos, os alunos inspecionaram cinco habitações da comunidade e terão que desenvolver projetos de melhoria até o fim do curso, na sexta-feira. As soluções devem sempre considerar as características locais e as vontades dos proprietários, premissas da assistência técnica.

Para Marina Brito, mestranda em Urbanismo na UFSC, esse primeiro contato com ATHIS apresentou uma realidade muito diferente do plano de discussões. “Foi interessante ver que não são necessárias soluções de outro mundo, às vezes pequenas ações já ajudam a melhorar muito a qualidade de vida das pessoas”, observa.

A segunda e última edição do curso de formação em ATHIS segue até a sexta, 20 de setembro. A programação teórica está sendo transmitida ao vivo pela página do CAU no Facebook. A abertura do evento, no dia 17, contou com a palestra “A relação da Habitação Social com a Política de Saúde Pública”, tema abordado pela arquiteta e urbanista Simone Cynamon Cohen, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); e o Presidente do CAU/RS, arquiteto Tiago Holzmann da Silva. Saiba como foi.

.:. Veja mais imagens .:.


Deixe seu comentário