Publicado em

Criar ambientes seguros para atender os infectados pela covid-19 em instituições hospitalares e espaços de emergência, como hospitais de campanha, também é função da arquitetura. Mais do que atender a uma demanda pontual, este campo de atuação tende a se ampliar, considerando a mudança de paradigma que a pandemia representa também para a nossa área. 

Este é o assunto do novo episódio do podcast CORONAVÍRUS E O FUTURO DA ARQUITETURA. Para conversar sobre o tema, os conselheiros do CAU/SC Everson Martins e Daniel Rodrigues Da Silva receberam os arquitetos Patrícia Paiva D’Alessandro e Guilherme Coelho.

O tema deste episódio abrange três dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU: o ODS 3, que pretende assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades; o ODS  9, para Construção de infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação; e também o ODS 11, do qual o CAU/SC é patrocinador oficial, e que pretende  tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. 

A série CORONAVÍRUS E O FUTURO DA ARQUITETURA é uma produção da Assessoria de Comunicação do CAU/SC com suporte dos conselheiros e conselheiras e da Assessoria Especial. A apresentação é da jornalista Ana Araujo e a edição de audio é da estagiária de Jornalismo Iraci Falavina. 

Ouça no Spotify ou na sua plataforma favorita.

 

Conheça os convidados:

Patricia Paiva D’Alessandro é graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie – SP (2002) e Especialista em Arquitetura Hospitalar (Inbec – 2014). Sócia e coordenadora de projetos na área de saúde da IDEIN ARQUITETURA (desde 2009). Atua em projetos na área da saúde há 18 anos em projetos de Hospitais, Clínicas e laboratórios, além de participações em congressos, cursos. É diretora Regional da ABDEH – SC (Associação Brasileira para o Desenvolvimento do edifício hospitalar) gestão 2017 – 2020.

Guilherme Coelho é consultor especialista em planejamento e projetos de estabelecimentos assistenciais de saúde. Sua formação acadêmica inclui bacharelado e mestrado em arquitetura, com especialização em edifícios hospitalares. Atualmente, Guilherme trabalha na empresa de consultoria EPOS Health Management com sede na Alemanha, e’ associado da Unidade de Inovação dos Médicos Sem Fronteiras e leciona no curso de arquitetura da Universidade Técnica de Braunschweig. Com mais de 20 anos de experiência profissional, Guilherme trabalhou em colaboração com organizações médicas humanitárias, instituições acadêmicas, setor público e privado, em projetos com ministérios de saúde de vários países, entre eles Moçambique, Afeganistão, Sudão, Iêmen, Haiti, Malaui, Tajiquistão e Iraque. Seu trabalho abrangeu o planejamento e o projetos arquitetônicos de estabelecimentos assistenciais de saúde como também no desenvolvimento de documentos técnicos, incluindo a Diretriz para Planejamento e Design de Instalações de Saúde dos Médicos Sem Fronteiras.


Deixe seu comentário