Publicado em

Há três semanas, milhares de pessoas precisaram aderir à quarentena para reduzir os riscos de contaminação pelo coronavírus no Brasil e em Santa Catarina. Antes mesmo de atingir o pico, previsto para a segunda quinzena de abril, a pandemia já impacta a vida de diversas pessoas. São famílias sem recursos, pessoas sem casa, profissionais de saúde sem equipamentos de proteção para atender os pacientes. 

Diante deste cenário desolador, uma ampla rede de solidariedade vem se formando. Com ações criativas e concretas, profissionais, voluntários e ativistas oferecem o seu tempo, talento e disposição para a tarefa de enfrentar a crise coletiva provocada pela covid-19. Arquitetos e urbanistas em todo o país e em Santa Catarina também colocam o seu conhecimento técnico a serviço de uma força-tarefa fundamental para atravessar este momento e para aprofundar uma nova cultura solidária, capaz de renovar a esperança e a coletividade. 

Conheça algumas iniciativas e junte-se a esta rede transformadora!

Recursos para quem mais precisa – O Coletivo de Ocupações Urbanas está organizando uma campanha solidária em favor de cerca de mil famílias que vivem em oito comunidades vulneráveis da capital, incluindo aldeias indígenas e quilombolas. Nestes locais, onde a maioria dos moradores não tem  renda ou está desempregada, a crise econômica é uma constante e se agrava ainda mais em tempos de quarentena. “Sem transporte, escola, creche, merenda, recursos, agente de saúde da família, novas inscrições no bolsa família, seguridade social, adequada rede de energia, água e esgoto, banheiros e cozinhas, quartos reserva nos barracos não tem como garantir a prevenção na quarentena residencial”, observa o arquiteto Loureci Ribeiro, que faz parte do coletivo e também integra o Movimento Nacional de Luta por Moradia. Ele conta que, para que a ação seja assertiva, o grupo conta com o conhecimento técnico e interlocução direta com as lideranças das comunidades. As doações recebidas até agora já viabilizaram a entrega de cerca de 200 cestas básicas, materiais de limpeza e higiene pessoal para famílias em situação de vulnerabilidade de comunidades da grande Florianópolis. 

 

Como participar:

Deposite qualquer valor na conta bancária:

Titular RUY AVILA WOLFF

Banco do Brasil UFSC

Agencia 1453-2

Conta Corrente 216019-6

CPF 618227959-15

 

Recital solidário – A arquiteta Daniela Accorinte Lopes está se propondo a realizar um recital beneficente em Florianópolis.  Ela conta que a quarentena oportunizou mais tempo para se dedicar ao violoncelo e ao piano. “Decidi ajudar pessoas que não têm este privilégio”, afirma a arquiteta, que também é presidente do Sindicato dos Arquitetos de Santa Catarina (SASC). O público poderá contribuir individualmente com R$ 10, valor que será destinado ao Instituto Pe. Vilson Groh. A organização realiza projetos sociais que beneficiam crianças e adolescentes de comunidades de Florianópolis. Saiba mais no site sobre a ong no site http://www.redeivg.org.br/

Como participar:

Entre em contato inbox com a @danielaaccorinte

 

Equipamentos para hospitais e profissionais de saúde – A infecção em massa de pessoas pela covid-19 demanda equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais de saúde e também equipamentos especiais para hospitais. Diante deste desafio, o FAB LAB Joinville, uma associação que reúne entusiastas a cultura maker e das novas tecnologias de produção, mobilizou voluntários e empresas em um esforço para a produção de protetores faciais, respiradores e de manutenção de equipamentos hospitalares. Mais de mil peças foram produzidas por cerca de 50 voluntários. A associação ainda disponibilizou um tutorial sobre como produzir os equipamentos no seu site.

.:. Faça parte da rede de Urbanistas contra o Corona .:.

.:. Está participando ou promovendo alguma ação solidária na sua cidade? Escreva para comunicacao@causc.gov.br e conte para a gente ou então marque o @cau.sc nas postagens do Instagram.:.


Deixe seu comentário