Lívia Schumacher Corrêa

Os escritórios Térreo Arquitetos, Peters Studio, Eduardo João Berté Arquitetura e Arquiteto Eduardo Baptista Lopes, de Balneário Camboriú (SC), receberam menção honrosa no concurso Arena BSB, que acolheu projetos para Requalificação do Complexo Esportivo e de Lazer Arena BSB, espaço público em Brasília. O concurso é organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Distrito Federal.

46 projetos de profissionais de todo o país foram propostos para a reestruturação do Eixo Monumental, que, nos próximos anos, ganhará mais espaço para lazer, com cinemas, bares, restaurantes, academias, casas de espetáculos e lojas. O projeto inscrito pelos arquitetos Artur Guilherme Bernardoni, Eduardo Baptista Lopes, Eduardo João Berté, Felipe Braibante Kaspary (conselheiro do CAU/SC), Gustavo Peters de Souza, Mariah Vieira Mafra, Paula Rabel Dilli e Rodrigo Reche de Avila enfatizou o desenvolvimento do entorno do complexo e criou soluções para oferecer maior conforto para o deslocamento de pedestres nas áreas secas.

“Ao intervir na Arena BSB, é preciso partir de algumas premissas básicas: a monumentalidade do estádio deve ser preservada, mantendo-o sempre como o maior elemento de legibilidade do complexo; ao propor usos cotidianos ao complexo, como restaurantes, bares, lojas, supermercado e banco, é preciso criar ambiências urbanas com escala humana, que estimulem os deslocamentos à pé, com áreas sombreadas e ventiladas constantemente; a  articulação do complexo com o Plano Piloto deve ser maximizada, fazendo com que a área seja parte pertencente da cidade; e, por fim, as grandes áreas ocupadas por estacionamentos devem ser, ao máximo, escondidas dos pedestres, uma vez que esses espaços pouco contribuem para a urbanidade desejada”, diz o memorial do projeto apresentado pelos arquitetos catarinenses. As pranchas  estão disponíveis neste link.

Outros três escritórios receberam menções honrosas. Na categoria principal, três projetos foram nomeados finalistas e avançaram para a segunda etapa do concurso. Os três escritórios escolhidos – um de Caxias do Sul (RS), um de Curitiba (PR) e outro de Brasília (DF) – terão que defender oralmente seus Estudos Preliminares. O julgamento será entre 12 e 13 de dezembro, e a homologação do projeto vencedor será em 20 de dezembro.

O objetivo do concurso, segundo o site, é fazer com que Brasília se torne uma cidade mais acolhedora aos seus cidadãos, aos turistas e ao empreendedorismo através da arquitetura e urbanismo. O presidente do IAB/DF, Célio da Costa Melis Junior, considera a modalidade de concurso público como “a forma mais inteligente, confiável, transparente e democrática de contratação deste tipo de ‘serviço técnico especializado’”.

Parte do projeto catarinense

Deixe seu comentário