Publicado em Categoria Notícias

Cartilha alerta sobre violência doméstica durante o isolamento social

Iraci Helena de Oliveira Falavina

O isolamento social é uma das principais formas de prevenção da COVID-19. Entretanto, uma das consequências negativas tem sido o aumento da violência doméstica registrado em vários estados. No Rio de Janeiro, o plantão Judiciário divulgou no começo de abril um aumento de 50% nos casos de violência doméstica. Nesse contexto, o Núcleo de Pesquisa em Gênero, Raça e Etnia da Escola de Magistratura do Rio de Janeiro (EMERJ) elaborou uma cartilha com orientações sobre o assunto.

O documento explica sobre a pandemia e os motivos que levaram ao confinamento em diversos estados. Há também descrição dos diferentes tipos de violência doméstica: física, psicológica, sexual, patrimonial e moral. Existem ainda violências particulares durante a pandemia, como impedir que a parceira higienize as mãos ou se informe corretamente sobre o isolamento e o vírus.

Em santa Catarina, de acordo com o mais recente boletim divulgado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-SC), 19 mulheres foram vítimas de feminicídio no estado entre 1º de janeiro e 27 de abril. Em 2019, SC teve a maior taxa deste tipo de crime dos últimos três anos: foram 59 vítimas, um aumento de 40,5% em comparação com o ano anterior. Os feminicídios representaram 9% do total de homicídios cometidos no ano passado no estado catarinense.

Faça download da cartilha aqui. Proteja-se contra o coronavírus e qualquer tipo de violência.

.:. Leia também: SC teve mais de 4 mil casos de violência doméstica no mês da mulher .:.


Deixe seu comentário