Publicado em

Apresentação dos Eixos realizadas no dia 14 de outubro de 2016. As Oficinas foram ministradas por:

ELISABETE FRANÇA: Arquiteta pela FAU/UFPR, mestre em Estruturas Ambientais Urbanas pela Universidade de São Paulo e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. É sócia titular do Studio 2E Ideias Urbanas, professora no curso de Arquitetura e Urbanismo da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), no curso de especialização em Planejamento e Gestão de Cidades do núcleo de estudos USP Cidades e no curso de especialização em Habitação e Cidade, da Escola da Cidade. Entre 2005 e 2012, foi superintendente de habitação popular da Secretaria de Habitação de São Paulo, onde coordenou e elaborou diversos programas habitacionais. Em 2002, foi curadora da exposição Favelas Upgrading, apresentada no Pavilhão Brasileiro durante a 8ª Mostra Internazionale di Architettura.

LUCIANO MARGOTTO: Arquiteto e Urbanista formado pela FAUUSP em 1989, mestre em 2001 e doutor com a tese “Lições da Arquitetura: leituras a partir de poéticas” em 2016, ambos pela FAUUSP. Professor da FAU Mackenzie desde 2002 e da Escola da Cidade desde 2004. Recebeu diversos prêmios por projetos e obras construídas. Entre eles, destacam-se os concedidos à Sede do SEBRAE Nacional, em Brasília/DF, e ao Terminal da Lapa, em São Paulo. Do Instituto de Arquitetos do Brasil, obteve duas vezes o prêmio máximo para projetos não executados e o Prêmio Carlos Barjas Millan pela Sede de Construtora e Loja em Sorocaba, em 2012, e pela Residência em Ibiúna, em 2000. Foi um dos fundadores do escritório Núcleo de Arquitetura e sócio-diretor entre 1988-2010. Fundou e dirige o escritório REPUBLICA Arquitetura desde 2010.

ALEXANDRE PEDROZO: Arquiteto e Urbanista pela Universidade Federal do Paraná. Especialista em Gestão Urbana pelo Lincoln Institute of Land Policy [LILP]. Trabalha desde 1997 com gestão de cidades e, especialmente, com planos diretores de desenvolvimento urbano. Professor universitário, integrou equipes de pesquisa de Instrumentos de Gestão Urbana e Planos Diretores no Brasil e na Angola. É coautor do Jogo do Direito à Cidade [selecionado pelo Ministério das Cidades em 2006], entre outras ferramentas didático-pedagógicas para ensino de gestão e planejamento urbano. Já atuou como consultor do governo da Angola, como coordenador de planos de estruturação urbana e projetos de arquitetura, e do Brasil, para captação de experiências de planos diretores participativos no Paraná.