Estudantes

Lívia Schumacher Corrêa

Através da Mostra e Prêmio Nacional “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, o UIA2020 RIO, 27º Congresso Mundial de Arquitetos, vai premiar estudantes e professores de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. Os dez trabalhos selecionados receberão um diploma de distinção no evento, que acontece na cidade do Rio de Janeiro em julho de 2020.

São duas categorias do prêmio. A primeira é destinada a Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ou Trabalho Final da Graduação (TFG). Conforme as regras, o trabalho destes graduandos deve ser individual e não exclusivamente teórico. É preciso, também, que haja um professor orientador para indicação.

A segunda categoria é voltada para docentes que tenham realizado práticas pedagógicas inovadoras em Arquitetura e Urbanismo. São válidos trabalhos em grupo, mas o interlocutor com a organização da mostra deve ser indicado no momento da inscrição.

Todos os trabalhos devem estar relacionados a pelo menos um dos quatro eixos temáticos do UIA2020RIO: Mudanças e Emergências; Fragilidades e Desigualdades; Diversidade e Mistura; Transitoriedade e Fluxos. O edital, com detalhes de datas e critérios, está disponível no site do Congresso.


Publicado em Categoria Arquitetura

7 coisas que você precisa lembrar ao exercer Arquitetura e Urbanismo

Veja algumas das regras imprescindíveis para você garantir ser um profissional de arquitetura e urbanismo ético e bem sucedido

Comunicação CAU/SC

Mensalmente, a Comissão de Ética e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CED) analisa inúmeros casos de má conduta profissional. Da prática irregular de reserva técnica à falta de placas em obras. São diversos tipos de infrações contra o código de ética profissional e às leis que regulamentam a profissão no Brasil.

Publicado em setembro de 2013, o Código de Ética e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo aponta regras de postura e comprometimento profissional que tem como intuito qualificar o mercado de trabalho e cultivar as boas relações entre profissionais, clientes e parceiros. Ao cometer uma infração, o profissional fica sujeito às sanções ético-disciplinares que podem prejudicar sua atuação.

Nesta publicação, selecionamos sete regras imprescindíveis para te ajudar a conquistar uma carreira tranquila, bem sucedida, e livre de sanções ético-disciplinares.


1. Para alterar o projeto de outro profissional, você precisa de autorização!

Conforme a recomendação da regra nº 5.2.14 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR, o profissional de arquitetura e urbanismo encarregado da direção, fiscalização ou assistência técnica à execução de obra projetada por outro colega deve declarar-se impedido de fazer e de permitir que se façam modificações nas dimensões, configurações e especificações e outras características, sem a prévia concordância do autor do projeto.


2. Lembre-se de reconhecer e registrar a coautoria de projetos em parceria.

Respeitar e reconhecer o trabalho desenvolvido por colegas em parcerias é dever de todo arquiteto e urbanista. A Regra nº 5.2.12 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR determina que, em cada projeto, obra ou serviço, as situações de coautoria e outras participações sejam especificados. A determinação também é descrita no art. 14 da Lei nº 12.378/2010 da Constituição Federal.


3. Não esqueça a placa com dados de identificação!

A visibilidade das informações sobre o responsável técnico pela obra é um dos pré-requisitos para a regularidade da construção. Durante a execução da obra, há informações que precisam estar visíveis. São elas o nome do arquiteto e urbanista ou empresa de arquitetura e urbanismo responsável, o serviço que está em andamento, o número de registro no CAU e outras informações de contato devem ser divulgadas. Conforme a regra nº 2.2.8 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR essas informações devem ser públicas e visíveis, à frente da edificação objeto da atividade realizada, conforme o especificado no art. 14 da Lei n° 12.378/2010.


4. As atividades técnicas de arquitetura e urbanismo precisam de Registo de Responsabilidade Técnica (RRT).

Para fins de comprovação de autoria, participação e de formação de acervo técnico, o arquiteto e urbanista deve registrar seus projetos e demais trabalhos técnicos no CAU. Além de garantir à sociedade o comprometimento do profissional responsável pelo serviço, o RRT também tem fins de comprovação de direitos autorais. Essa determinação está prevista nos artigos 13 e 18 da Lei nº 12.378/2010, legislação que regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo.


5. Regularize sua proposta técnica através de um contrato.

Você e seu cliente precisam de segurança. Por isso, conforme a regra nº 4.2.10 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR, ao formular uma proposta técnica você deve elaborar um contrato escrito. Esta formalização do serviço será um guia dos compromissos firmados entre o arquiteto contratado e o cliente contratante. Além das questões legais, devem constar no documento: Detalhamento dos produtos técnicos a produzidos –  natureza e âmbito;  etapas e prazos;  remuneração proposta e as formas de pagamento.


6. Comissões e reserva técnica? Nem pensar!

O assunto é polêmico, mas a regra é clara! Conforme a regra nº 3.2.16 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR: “O arquiteto e urbanista deve recusar-se a receber, sob qualquer pretexto, qualquer honorário, provento, remuneração, comissão, gratificação, vantagem, retribuição ou presente de qualquer natureza – seja na forma de consultoria, produto, mercadoria ou mão de obra – oferecida pelos fornecedores de insumos de seus contratantes”. A infração também é prevista no inciso VI do art. 18 da Lei n° 12.378, de 2010.


7. Especificar produtos a fim de receber viagens vinculadas a programas de pontuações também configura falta ética.

A mesma regra (nº 3.2.16 do Código de Ética e Disciplina do CAU/BR ) vale para os programas de pontuação que preveem vantagens e viagens aos profissionais que especificarem produtos aos seus clientes, através de um vínculo com um fornecedor. O CAU/SC acredita que a partir de uma relação transparente entre arquiteto e cliente é possível se valorizar a profissão. Por isso, incentiva boas práticas. Desse modo, o trabalho de um arquiteto e urbanista deverá ter a remuneração merecida a partir do próprio trabalho, e não por meio de comissões.

 

 

 

Leia também: Projeto de Lei pretende criminalizar o exercício ilegal das profissões de arquiteto e urbanista


Publicado em Categoria Estudantes

IAB/SC promove novas edições do Curso de Revit

Instituto de Arquitetos do Brasil - Santa Catarina
IAB/SC

O IAB/SC promove mais duas edições do Curso de Revit. O curso será realizado na sala 401 da UNISUL – Campus Grande Florianópolis – Dib Mussi Rua Antônio Dib Mussi, 366, Centro, Florianópolis, SC. O treinamento ocorre em duas datas.

A primeira será nos dias 11 e 12 de agosto. Já o segundo modulo será nos dias 18 e 19 de agosto. Mais de 20 turmas de Curso de Revit já foram promovidas. Algumas em universidades como a Univali e Uniasselvi.

O Curso de Revit será ministrado pelo Arquiteto e Urbanista Rodrigo Augusto FornaraCAU A73258-3. Fornara é graduado em Arquitetura e Urbanismo – Universidade do Vale do Itajaí (2012) e possui o Autodesk Certified Professional. Atua com treinamentos e consultorias em BIM desde 2011. Também atuou como BIM Manager em grandes projetos industriais e atualmente é sócio-diretor de uma empresa especializada em projetos com uso da tecnologia BIM. Também foi instrutor autorizado Autodesk, ministrando turmas pelo Centro de Treinamento Autorizado TKS Tecnologia, de Curitiba.

O Revit é um software de projeto criado especialmente para a modelagem de informações de construção (BIM).Software utiliza uma abordagem diferente na produção de documentos para construção. Para criar o Modelo Virtual os usuários devem aprender a utilizar as ferramentas especializadas para cada elemento construtivo, e como fazer com que cada elementos interaja apropriadamente com os demais elementos.

Inscrições e maiores informações sobre o curso:

WhatsApp 48- 9910.68538 das 13hs as 19hs ou pelo e-mail: eventos@iab-sc.org.br

 

Valores do Curso de Revit:
Associados IAB        R$ 1.000,00
Não Associados        R$1.700,00

Turmas para 10 alunos

Carga Horária de 24 horas/aula.

 

Módulo I

11 de agosto – das 13hs às 21hs

12 de agosto – das 09hs às 13hs


Módulo II

18 de agosto –  das 13hs às 21hs

19 de agosto – das 09hs às 13hs

É necessário levar para o treinamento o Notebook com  o Software: Autodesk Revit 2018.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PERÍODO 1 (4h)

  • Introdução à tecnologia BIM
  • Interface
  • Adicionando Paredes
  • Elevações Exteriores e Níveis
  • Vinculando (Linking)/Importando/Exportando Arquivos CAD

PERÍODO 2 (4h)

  • Selecionando e Modificando Objetos e Dimensionamento
  • Adicionando Portas
  • Adicionando Janelas
  • Eixos (Grids)

PERÍODO 3 (4h)

  • Ambientes (Rooms)
  • Vistas de Modelos e Controlando as Aparências Gráficas
  • Anotações
  • Marcando (Tagging) e Tabulando Vistas

PERÍODO 4 (4h)

  • Adicionando Componentes
  • Pisos
  • Vistas de Cortes
  • Forros

PERÍODO 5 (4h)

  • Telhados
  • Escadas, Rampas e Corrimãos/Guarda-Corpos
  • Peles de Vidro (Curtain Walls)
  • Editando Paredes

PERÍODO 6 (4h)

  • Configurando Vistas
  • Pranchas e Impressão
  • Fases
  • Vistas de Detalhes e Detalhamento
  • Grupos

Publicado em Categoria Arquitetura

Projeto de Lei pretende criminalizar o exercício ilegal das profissões de arquiteto e urbanista

Ronaldo Lessa (PDT/AL) apresentou requerimento para agilizar votação da proposta, parada há 15 anos no Congresso Nacional.

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil
CAU/BR

O projeto de lei que torna crime contra a saúde pública o exercício ilegal das profissões de arquiteto e urbanista, agrônomo, engenheiro, dentista, médico e farmacêutico deve passar a tramitar em regime de urgência na Câmara dos Deputados. O pedido para acelerar a análise da matéria é de iniciativa do deputado Ronaldo Lessa (PDT/AL). O requerimento contou com a assinatura de líderes de oito partidos. “Agora esperaremos que o presidente da Câmara paute o projeto e trabalharemos para que seja aprovado”, afirma o parlamentar.

A proposta, de autoria do ex-deputado fluminense José Carlos Coutinho, foi apresentada em 2002 e até hoje não foi votada em definitivo na Câmara dos Deputados. O texto prevê que quem exercer ilegalmente as profissões mencionadas, ainda que gratuitamente, estará sujeito a uma pena de seis meses a dois anos de prisão. Caso o exercício se dê com fins lucrativos, o condenado pagará ainda multa de dois a vinte salários mínimos.

EXERCÍCIO ILEGAL É RISCO PARA SOCIEDADE

O presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro, elogiou a iniciativa de agilizar a apreciação do projeto. “A aprovação da mencionada proposição, paralisada há mais de dez anos, inibirá a atuação fraudulenta de falsos profissionais que representam risco à segurança da sociedade e desprestigiam os conhecimentos técnicos, culturais e sociais da categoria, composta por aproximadamente 150.000 (cento e cinquenta mil) arquitetos e urbanistas registrados neste Conselho”.

 

""</a

 

ENTENDA O “REGIME DE URGÊNCIA”

O regime de urgência dispensa algumas formalidades na tramitação do projeto dei lei. Para tramitar neste regime, a proposição deve tratar de matéria que envolva a defesa da sociedade democrática; das liberdades fundamentais; tratar-se de providência para atender a calamidade pública; de Declaração de Guerra, Estado de Defesa, Estado de Sítio ou Intervenção Federal nos estados; acordos internacionais e fixação dos efetivos das Forças Armadas, entre outros casos.

Uma proposição também pode tramitar com urgência quando houver apresentação de requerimento nesse sentido. Caso a urgência seja aprovada, a proposição será colocada na Ordem do Dia da sessão deliberativa seguinte do Plenário, mesmo que seja no mesmo dia.


Clique aqui para acessar a íntegra do Projeto de Lei nº 6.699/2002


Publicado em Categoria Arquitetura

Curso – Implantação e treinamento BIM

Comunicação CAU/SC

Após iniciativas de treinamento oferecidos a partir de uma parceria entre o CAU/BR e a empresa Graphisoft, novas ações oferecem treinamento e preparo para as ferramentas dedicadas em BIM, por todo o Estado. Dada a grande procura de arquitetos e urbanistas por indicações sobre treinamentos em BIM, O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina usa desse espaço para tornar público um dos cursos sobre o tema, no qual tem conhecimento que esteja ocorrendo. Mais informações, esclarecimentos e demais orientações devem ser solicitadas diretamente com os organizadores.

O BIM (Building Information Modeling) é um método de trabalho que permite organizar todas as informações que dizem respeito à construção de um edifício. O ARCHICAD é o software BIM líder de mercado, desenvolvido por arquitetos para arquitetos. Todo o trabalho criativo e de documentação acontece em 3D para que você possa tomar decisões e ver os resultados em um ambiente de projeto realista. O ARCHICAD oferece ainda as mais inovadoras ferramentas disponíveis no mercado de softwares para arquitetura.

Na versão brasileira todo o conteúdo está dentro das normas do país, com os objetos e elementos mais utilizados em nosso mercado. A biblioteca totalmente paramétrica e integrada facilita o fluxo de trabalho e te mantém conectado ao seu projeto o tempo todo. Sua interface gráfica facilita o aprendizado e torna o fluxo de projeto muito mais prazeroso.

BIM PARA TODOS

Aprenda:

  • Ambiente 3D Realista
  • Cortes e Elevações Automáticas
  • Desenhos Coordenados
  • Documento 3D
  • Quantitativos precisos extraídos do modelo
  • Gestor de Revisões
  • Realidade Virtual com o BIMx e Óculos VR
  • Avaliação Energética Integrada

 

IMERSÃO BIM

Cooperação GRAPHISOFT E CAU/BR – Licença com valor promocional para registrados
& ARCHICAD 20 Solo com todas as vantagens BIM

Turma 1 – 19 a 22 de junho das 18h30 às 22h30|  Av. Rio Branco, 354, sl. 510, Centro, Florianópolis
Turma 2 – 3 a 6 de julho  das 18h30 às 22h30|  Av. Rio Branco, 354, sl. 510, Centro, Florianópolis
Turma 3 – 24 a 27 de julho das 18h30 às 22h30|  Av. Rio Branco, 354, sl. 510, Centro, Florianópolis
Turma 4 – 7 a 10 de agosto das 18h30 às 22h30|  Av. Rio Branco, 354, sl. 510, Centro, Florianópolis

16 horas de curso
R$ 500,00 – Até 10x no cartão
INSCRIÇÕES
equipeinformatica.com.br |(48) 3225-2232
Mais informações
(48) 9 8414-4000 (48) 9 9902-9896
patricia@equipeinformatica.com
arq.jaquelinealves@gmail.com


Publicado em Categoria Estudantes

Aluno do Mestrado Profissional do IPT ganha prêmio na Austrália por artigo sobre dispositivos de proteção solar

Trabalho se destaca ao propor projetos de edificações mais eficientes

Instituto de Pesquisas Tecnológica
IPT

Dias após defender seu trabalho de Mestrado Profissional em Habitação no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o arquiteto Matheus Tonelli já estava de malas prontas para viajar à Austrália e participar de uma conferência internacional promovida pela Universidade de Adelaide. Com seu artigo escrito durante o curso e orientado pela pesquisadora Maria Akutsu, responsável pelo Laboratório de Conforto Ambiental e Sustentabilidade de Edifícios, Tonelli recebeu o prêmio Student Travel Award, dedicado a estudantes estrangeiros, o que lhe rendeu oito convites para fazer doutorado em instituições de ensino do país.

O artigo de Tonelli, publicado em parceria com sua orientadora e sua co-orientadora e pesquisadora Adriana Camargo de Brito, também do IPT, apresenta um método para avaliar a eficiência de dispositivos de proteção solar de aberturas, também conhecidos como brises. O método permite que projetistas avaliem e comparem a eficiência deles escolhendo os elementos que possam contribuir mais para a melhoria do desempenho térmico e energético de uma edificação.

Para realizar a pesquisa, ele selecionou sete modelos básicos de brises tipicamente utilizados em edificações, e analisou a influência da forma desses dispositivos quando voltados a oito orientações solares (N, S, L, O, NE, NO, SO, SE), simulando, em computador, a quantidade de radiação incidente na janela de uma edificação em São Paulo. A eficiência dos dispositivos foi determinada em função da sua capacidade de redução da incidência de energia solar na superfície vertical analisada em comparação com a situação sem sombreamento.

“Muitos pesquisadores estudam o efeito de dispositivos de sombreamento de aberturas no desempenho térmico e energético de edifícios, porém a abordagem do Tonelli é inédita. Ele desenvolveu um método para avaliar esses dispositivos”, explica Adriana.

O artigo premiado de Tonelli é, na verdade, um resumo da sua dissertação de Mestrado, na qual ele analisa os formatos dos dispositivos de sombreamento e os diferentes resultados que eles oferecem. O resultado do trabalho também foi incorporado a uma ferramenta online de avaliações de dispositivos, disponibilizada pelo autor no link.

“Não consigo parar de sorrir”, conta Matheus, que já se mudou para a Austrália para dar continuidade a seus estudos.