Publicado em

Dois temas debatidos permanentemente dentro do CAU/SC por meio das Câmaras Temáticas de Acessibilidade e ‘Cidade: Patrimônio de todos’ pautaram o seminário CPUA Itinerante, em Joinville, no dia 15 de outubro. A iniciativa da Comissão de Políticas Urbanas e Ambientais do CAU/SC atraiu arquitetos, estudantes e representantes do poder público e da sociedade civil para o auditório da Amunesc e oportunizou o aprofundamento destes temas, considerados estratégicas para a nova agenda urbana.

A acessibilidade foi o primeiro tema da noite. A mediação ficou por conta da conselheira Silvya Caprario, coordenadora da CT de Acessibilidade do CAU/SC. A arquiteta Ana Lúcia Córdova Wandscheer, integrante da Câmara Temática de Acessibilidade, abriu a sequência de palestras da noite. Professora do curso de graduação de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, UNIARP, Ana Lúcia refletiu sobre como o tema da acessibilidade é tratado dentro dos cursos de arquitetura e urbanismo. A arquiteta defendeu que as escolas propiciem mais experiências que despertem os futuros arquitetos para as necessidades das pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida nos espaços. Confira a gravação da palestra.

Foi um longo caminho até que os espaços urbanos passassem a considerar as adaptações para viabilizar o trânsito e a permanência de pessoas com deficiência. As fases da absorção do tema pela sociedade para queas necessidades destes cidadãos e cidadãs começassem a ser percebidas e absorvidas nas políticas urbanas foi o tema que a arquiteta Heloísa Regis Vaz levou para o debate. Veja aqui a palestra.

As especificidades da arquitetura na preservação do patrimônio histórico cultural foi o tema da segunda parte do encontro. A arquiteta Anne Lise Souto mediou a palestra proferida pela urbanista Simone Harger, mestranda em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental pela UDESC e especializações nas áreas de Gestão Urbana, Gestão de Restauro e Gestão de Cidades e Empreendimentos Criativos (2013). Simone foi diretora de Preservação do Patrimônio Cultural na Fundação Catarinense de Cultura como e trabalha como arquiteta restauradora e consultora nas áreas de conservação urbana integrada, sustentabilidade e restauração de arquitetura histórica. A palestra está disponível no vídeo da transmissão ao vivo.

Com o evento, o CAU procurou incentivar o debate sobre cidades inclusivas e preservação do patrimônio cultural entre os profissionais e também junto à sociedade catarinense.  A coordenadora da CPUA, Jaqueline Andrade, destacou a descentralização das discussões como um dos pontos fortes do encontro. O reconhecimento de que tanto o tema da acessibilidade quanto do patrimônio carecem de mais espaço na formação dos arquitetos também ficou evidente, segundo a arquiteta. “O tema da acessibilidade deveria perpassar todas as disciplinas por que ela precisa ser considerada em todos os espaços: nas casas, na cidade, nos espaços públicos. É um assunto que precisa ser mais discutido nas escolas”, afirma Jaqueline, que também integra a Comissão de Ensino e Formação do CAU/SC.

O seminário CPUA Itinerante Acessibilidade | Patrimônio fez parte da programação oficial do Outubro Urbano da ONU Habitat. Signatário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, o CAU/SC está comprometido com a nova agenda urbana que define padrões globais para o alcance do desenvolvimento urbano sustentável, “repensando a forma como construímos, gerenciamos e vivemos nas cidades”, segundo o ONU-HABITAT. Através da ação, o CAU/SC colaborou também com outros quatro Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: ODS 03 – Saúde e bem estar; ODS 04 – Educação de qualidade; ODS 10 – Redução das desigualdades; e ODS 16 – Paz justiça e instituições fortes; além do ODS 11 – Cidades e comunidades sustentáveis, do qual é patrocinador oficial.

 


Deixe seu comentário