Palavra da Presidente

Publicado em Categoria Palavra da Presidente

O olhar das mulheres sobre as cidades

Comunicação CAU/SC

Ilustração: Eugenia Loli

Por Daniela Pareja Garcia Sarmento*

Neste mês de março, em que pensamos a condição das mulheres na sociedade, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina está provocando a reflexão sobre o papel das arquitetas no desenvolvimento das cidades. Para além de oferecer visibilidade à contribuição das mulheres, que representam hoje 66,08% do contingente profissional da arquitetura e urbanismo, esta perspectiva nos permite expandir o diálogo sobre o direito à cidade.

O arquiteto espanhol e professor da Escola Técnica de Ensino Superior de Barcelona Josep Maria Montaner observa que a estrutura urbana se mantém e se transforma com prioridade para atender a demanda do capital e as prioridades masculinas. Assim, a cidade é desenhada para atender o fluxo dos homens, em idade média, no auge de sua capacidade produtiva, com trabalho estável e bem remunerado que lhe permite ter carro, deixando as demandas das mulheres, jovens, idosos, crianças e deficientes físicos à margem das prioridades do investimento público. Este retrato oferece uma dimensão da potencialidade da arquitetura e do urbanismo na construção de um modelo de cidade e sua capacidade de incluir a todos.

A história das mulheres pode ser sintetizada como uma história de luta constante pelo direito à emancipação política e pelo direito à cidadania. A própria inserção da mulher no meio urbano é uma importante dimensão do avanço pela conquista por mais espaço e pela participação no fluxo produtivo da sociedade contemporânea. Se considerarmos que a perspectiva de gênero aplicada ao urbanismo é entendida a partir da experiência, alcançamos, através deste olhar, uma atuação mais próxima do usuário e conectada com ele.

É preciso destacar a participação da mulher na construção do território e a possibilidade de revisão da realidade, permitindo que se lance uma nova construção, pautada na visibilidade e protagonismo em defesa de suas demandas na cidade. Com isso, possibilitar a construção de cenários em que as mulheres possam alcançar o direito de circular com segurança, acessar todos os lugares que desejarem, dispor de equipamentos públicos que atendam às demandas oriundas das atividades com a reprodução, ter espaço para empreendedorismo e participação política. E, assim, ver diluídos os limites que determinam o vínculo da mulher com o espaço privado e ampliar sua condição de ser parte do espaço público e político da cidade.

As demandas das mulheres no planejamento urbano não implicam fazer uma cidade especializada unicamente para as mulheres, excluindo o lugar e as necessidades dos outros cidadãos, mas sim afirmar uma perspectiva que representa uma nova abordagem de inclusão, do olhar, da opinião, da percepção e da contribuição das mulheres na construção da cidade contemporânea, trazendo uma nova dimensão ao desenvolvimento da cidade e da sociedade.

Ampliar o universo da cidade é alcançar um caminho transversal para a aplicação de políticas públicas em busca de atender à diversidade e à melhoria da qualidade de vida da sociedade. Enfrentar este desafio é nossa resposta, atendendo a orientação do ODS 11 e as diretrizes da agenda urbana para 2030: o acesso universal a espaços públicos seguros, inclusivos, acessíveis e verdes, aos espaços públicos verdes, particularmente para as mulheres e crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência.

*Presidente do CAU/SC
Gestão 2018/2020


Publicado em Categoria Palavra da Presidente

Que 2019 seja nosso ponto de mudança

Comunicação CAU/SC

Mais de 80% da população brasileira vive nas cidades, locais que concentram as demandas sociais e que são cenários de atuação do arquiteto e urbanista. Este contexto nos coloca diante do desafio de intervir sobre as demandas urbanas. Balizados pelo nosso olhar técnico, podemos propor soluções capazes de tornar as cidades mais humanas e sustentáveis.

Em seu terceiro mandato, o CAU/SC se empenha em consolidar o reconhecimento do profissional da arquitetura e urbanismo como agente estratégico a serviço da transformação do espaço urbano.  Nosso propósito é a defesa da sociedade pelo direito a arquitetura e urbanismo. Entendemos que nos cabe construir, a partir da organização interna desta autarquia, a mudança que desejamos para a sociedade,

Em 2018, alguns passos importantes nos colocaram em posição de responder a esta tarefa. Sob o ponto de vista administrativo, investimos na integração e no aperfeiçoamento tecnológico para agilizar processos, qualificar o atendimento e responder às atribuições legais. Da perspectiva política, ao eleger os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) como guia do Plano Estratégico do CAU/SC, os conselheiros e conselheiras da gestão 2018/2020 projetaram a ação do Conselho para um novo e potente patamar de atuação.

Por isso, 2019 é o ano de estender o alcance social das ações coletivas dos arquitetos e urbanistas sob a representação do CAU/SC. Em uma das nossas primeiras ações neste ano, estamos apresentamos aos legisladores catarinenses eleitos a Carta das Cidades, nosso manifesto em defesa de uma agenda que contemple uma política pública de um Planejamento Urbano Solidário e Inclusivo, alinhado com os compromissos dos ODS nas questões que tangem o tema. Nele, oferecemos a nossa contribuição técnica por meio de 53 propostas concretas fundamentadas em três pilares: Projeto nacional baseado na territorialização das políticas públicas, Governança urbana inovadora e Democratização da gestão dos territórios.

Esta primeira ação política simboliza a tônica da agenda do CAU/SC neste ano. Desejamos, ao final desta etapa, provocar um ponto de mudança na nossa história e evoluir a forma como a sociedade absorve a contribuição da profissão do arquiteto e urbanista.

As metas são ousadas e, na mesma medida, urgentes. Porém, possíveis desde que nossa ação seja organizada e coletiva. O CAU se constrói com a participação ativa da sociedade. Por isso, também estamos trabalhando para aprofundar os canais que permitem a participação efetiva dos/as arquitetos/as e urbanistas nas ações e no cotidiano do CAU/SC. Juntos e organicamente, podemos influenciar também as mudanças que a sociedade almeja.

 

Daniela Pareja Garcia Sarmento

Presidente – Gestão 2018/2020

 


Publicado em Categoria Palavra da Presidente

A arquitetura e o urbanismo à disposição da sociedade

Comunicação CAU/SC

.:. Ouça também a mensagem da presidente enviada aos arquitetos e arquitetas e urbanistas no dia 15 de dezembro .:.

Daniela Pareja Garcia Sarmento

Presidente do CAU/SC

Comemorar o Dia do Arquiteto e Urbanista, em 15 de dezembro, é reconhecer a relevância destes profissionais junto à sociedade na construção de um habitat urbano mais inclusivo e sustentável.

Em seu terceiro mandato após a criação dos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo pela lei n° 12.378/2010, o CAU/SC aposta na organização e no engajamento para uma gestão mais eficiente e conectada com as demandas sociais. Para além do escopo de representar os 8570 arquitetos e arquitetas de Santa Catarina, orientando, disciplinando e fiscalizando o exercício da profissão, entendemos que os profissionais tem muito a contribuir para a organização do espaço urbano.

Como especialistas em complexidades, podemos oferecer o nosso olhar e as nossas habilidades e, em conjunto com a sociedade, interpretar, intervir e atuar no planejamento e no desenvolvimento das cidades brasileiras. Dentro deste contexto, precisamos estabelecer uma relação mais horizontal, estimulando o papel dos profissionais da arquitetura e urbanismo como influenciadores positivos em prol da evolução da sociedade. Acreditamos que é esta a postura que nos levará a ampliar o nosso reconhecimento profissional e alcançar o objetivo do acesso à arquitetura para todos.

Compreendendo a necessidade de construir este novo cenário, que tem na participação efetiva e transformadora a própria essência, o CAU/SC mergulhou em um intenso processo em 2018. Nos dedicamos à construção do Planejamento Estratégico do Conselho (gestão 2018/2020), documento que envolveu todas as comissões e considerou os seus diagnósticos e leituras para a construção de um plano de ação para o próximo período.

Em uma das suas decisões políticas mais importantes deste ano, os conselheiros do CAU/SC também aderiram unanimemente aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), alinhando as metas do CAU/SC à agenda universal que convoca o mundo para ações práticas de mudança. Investimos na capacitação de funcionários e conselheiros, buscamos simplificar processos, aperfeiçoar tecnologias e metodologias para aproveitar melhor os recursos e tornar a gestão mais eficiente.

Em 2019 e 2020, nossos projetos e ações seguem focados em promover o engajamento que o momento histórico exige. Que nesta próxima etapa, nos sintamos inspirados à construção de agentes à disposição da sociedade para a defesa do seu direito à arquitetura e urbanismo, como apregoa o nosso Código de Ética: “2.1.2 – O arquiteto e urbanista deve defender o direito à arquitetura e urbanismo, às políticas urbanas e ao desenvolvimento urbano, à promoção da justiça e inclusão social nas cidades, à solução de conflitos fundiários, a moradia, à mobilidade, à paisagem, ao ambiente sadio, à memória arquitetônica urbanística e à identidade cultural”.