Publicado em

A atuação dos arquitetos na área de interiores vem se destacando nas mostras de decoração do Estado. A constatação é da Gerência de Fiscalização do CAU/SC que vistoriou ambientes em três importantes eventos: as mostras Decorare, em Chapecó, e CasaCor de Florianópolis e de Balneário Camboriú. No total, 99 ambientes foram fiscalizados. 93 deles contavam com, ao menos, um Responsável Técnico e 91 destes RTs eram arquitetos e urbanistas. Na mostra Decorare, em Chapecó, todos os ambientes tinham profissionais responsáveis técnicos.

O resultado mostra a valorização de uma das áreas de atuação mais recorrentes entre os profissionais. Em agosto, o CAU/BR divulgou pesquisa realizada em parceria com o Instituto Datafolha para traçar o perfil profissional dos arquitetos e urbanistas do Brasil. 68% dos profissionais que responderam ao questionário afirmaram ter atuado em Arquitetura de Interiores nos últimos dois anos.

A fiscalização do CAU/SC em edificações e instalações de caráter efêmero, como é o caso das mostras de decoração, tem a função garantir que todos os serviços técnicos prestados no evento sejam realizados por profissionais devidamente habilitados, com o respectivo documento de Responsabilidade Técnica (RRT ou ART).

O Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) deve ser emitido antes do início do serviço e serve para identificar o responsável pela realização de atividade técnica no âmbito da Arquitetura e Urbanismo. A Lei 12.378/2010, que regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo, prevê o registro para todas as atividades técnicas, incluindo arquitetura de interiores.

.:. Tire suas dúvidas sobre o RRT .:.

Durante as vistorias, a/o fiscal verifica se o ambiente conta com documento de responsabilidade técnica pelas atividades em desenvolvimento e se há regularidade no registro dos profissionais atuantes. As visitas também oferecem informações que respaldam a atuação dos arquitetos e urbanistas nas mostras. A Gerência de Fiscalização elaborou um documento orientativo dirigido aos organizadores em que explicita os objetivos das vistorias, trata da responsabilidade pelos ambientes, pelas edificações e áreas comuns. “A fiscalização nas mostras pretende prover segurança à sociedade, incluindo expositores e colaboradores, além de conscientizar os profissionais e a sociedade da importância da responsabilidade técnica devidamente registrada”, explica a chefe da Gerência de Fiscalização, arquiteta Mayara de Souza.

Confira algumas dicas da Gerência de Fiscalização:

👉🏽 Todas as atividades técnicas desenvolvidas no ambiente das mostras deverão ter responsável técnico com RRT devidamente registrado

👉🏽 As providências relativas à emissão de RRTs são de responsabilidade exclusiva do Arquiteto e Urbanista

👉🏽 O profissional deverá registrar apenas as atividades que efetivamente desenvolveu, de forma a não configurar a infração ética de acobertamento

👉🏽 Consulte sempre o Código de Ética para se certificar sobre as normas e a correta atuação profissional

 

Leia também:

“RRT é um ponto a favor da boa conduta profissional”, afirma presidente da Associação de Arquitetos de Interiores


Deixe seu comentário