Publicado em

A comunidade da arquitetura está comovida com a perda de um dos nomes mais expressivos da área em Santa Catarina. O arquiteto e urbanista André Francisco Camara Schmitt faleceu no início da noite desta quinta-feira, 12 de setembro. Pelo legado arquitetônico e também suas contribuições urbanísticas na capital, o arquiteto recebeu a Medalha do Mérito Virgílio Várzea da Câmara de Vereadores de Florianópolis em 2018.

Para a presidente do CAU/SC, Daniela Sarmento, a morte de André Schmitt  é uma perda para a arquitetura catarinense. “André foi um arquiteto inovador, empreendedor, à frente do seu tempo. Sempre à frente das questões relevantes da arquitetura, através da sua criatividade e seu gosto pelo desenho, nos trazia provocações que ajudavam a refletir sobre o papel transformador da arquitetura para o espaço”, afirmou. A presidente também classificou o arquiteto como “um profissional generoso e humanista”. “Estava sempre disposto a ensinar, a compartilhar e trazer soluções. Aprendemos muito com ele”, completou.

André Schmitt foi autor de grandes empreendimentos imobiliários e hoteleiros. Assinou o Plano de Urbanização da Praia Brava e um “masterplan” para o Jardim Botânico de Florianópolis, destacou nota divulgada pela prefeitura municipal de Florianópolis. Também fez parte da equipe vencedora do concurso nacional “Parque Metropolitano Dias Velho – aterro da Baía Sul”, promovido pela prefeitura e pelo IAB/SC em 1996. “O gesto no projeto do aterro, de urbanizar e reaproximar a cidade ao mar, preconizavam o bom urbanismo que buscamos a cada dia, com a necessária busca de espaços mais vivos, diversos e voltados para as pessoas. É uma perda inestimável, mas suas ideias sempre estarão vivas”, destacou o arquiteto Michel Mittmann, atual secretário de Mobilidade de Florianópolis.

Segundo a revista Área, André Schmitt esteve à frente da Secretaria de Turismo de Florianópolis nos anos de 1970, período em que foi criada a Fundação Cultural Franklin Cascaes e que houve a determinação do fechamento do vão central do Mercado Público ao trânsito de veículos. “Dentro ou fora da administração pública, o arquiteto sempre colaborou nas discussões sobre o plano diretor”, disse, em nota, a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea-SC), organização da qual o arquiteto participou da fundação. O presidente da AsBEA, Carlos Lopes, destacou que Schmitt foi “professor de gerações e grande exemplo” para os profissionais.


Deixe seu comentário