Mês: janeiro 2020

Comunicação CAU/SC

Estudantes e professores universitários de todo o mundo têm até o dia 16 de fevereiro para se inscrever no Desafio Campus 2030, uma competição internacional que tem por objetivo promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030. As propostas devem ter soluções para campi mais sustentáveis.

Os times devem reunir de 2 a 5 pessoas e é possível se unir a uma equipe já existente – atualmente, 121 times procuram participantes. As propostas devem ser uma apresentação em inglês ou francês com cinco slides no formato PPT ou PDF.

Os vencedores receberão como prêmio uma Expedição de Aprendizado de uma semana no exterior, válido para duas pessoas do time e incluindo passagens aéreas, acomodação, treinamento e encontros profissionais.

Saiba mais no site da ONU-Brasil


Publicado no dia Categoria UIA2020

Complexo da Maré é tema do Concurso Internacional de Ideias

Comunicação CAU/SC

Como parte do 27º Congresso Mundial de Arquitetos – UIA2020RIO, que ocorrerá no Rio de Janeiro, de 19 a 23 de julho de 2020, foi lançado o Concurso Internacional de Ideias Maré-Cidade. Dirigido a estudantes de Arquitetura e Urbanismo de todo o mundo, o concurso premiará projetos que proponham soluções inovadoras de arquitetura e design urbano para integrar as comunidades do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, com o restante da cidade, levando em conta os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. O concurso é promovido pela União Internacional dos Arquitetos (UIA) junto ao Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), e tem o apoio da agência ONU Habitat. As inscrições estão abertas até 30 de março de 2020.

Serão oferecidos prêmios em dinheiro – nos valores de €3 mil, €2 mil e €1 mil – aos três primeiros colocados. Outros três projetos serão destacados com Menções Honrosas, que homenagearão renomados arquitetos do Brasil – Demetre Anastassakis, Roberto Burle Marx e Luiz Paulo Conde. Todos os seis contemplados ganharão um relógio suíço da marca Mido. O anúncio dos vencedores acontecerá em 1º de junho de 2020 e as soluções ganhadoras serão apresentadas ao público durante o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, em uma exposição, a partir de 21 de julho.

O tema

O Complexo da Maré é um dos maiores assentamentos populares do Rio de Janeiro, com 16 favelas reunindo cerca de 140 mil habitantes. São mais de 40 mil moradias com diferentes morfologias arquitetônicas, que vão desde construções informais até projetos habitacionais do governo. O local escolhido para os projetos do concurso está entre o conjunto das favelas e uma importante e movimentada via expressa, a Avenida Brasil. Atualmente, o lugar é ocupado por armazéns e prédios industriais, a maioria abandonada ou em desuso. O desafio proposto pelo concurso é a busca de soluções que considerem a população local e sua conexão com a cidade.

“As favelas são definidas como territórios informais principalmente pelo não cumprimento dos códigos urbanos locais oficiais. A visão predominante de uma cidade única, regulamentada e normativa entra em conflito com a realidade constituída pelo crescimento e expansão das favelas. Resta, então, aos arquitetos e urbanistas o desafio de pensar e propor outro conceito de cidade como espaço de diferenças e diversidade”, comenta Fabiana Izaga, uma das organizadoras do concurso e integrante do Comitê Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos.

Presidente desse Comitê, Sérgio Magalhães acrescenta que “não há alternativas para lidar com as favelas sem que seja considerada a sua relação espacial com o entorno e com a cidade formalmente construída”.

Construção coletiva

Para definir as bases do Concurso, o Comitê Executivo do UIA2020RIO contou com o apoio do Observatório de Favelas, organização da sociedade civil para pesquisa, consultoria e ação pública voltadas à redução das desigualdades sociais. “Fomos convidados a participar da elaboração do Termo de Referência que vai orientar o trabalho dos estudantes. Além de apresentar a história da Maré, procuramos explicar como se dá o uso dos espaços públicos na região, mostrar as prioridades da população local e apontar, para os participantes do concurso, caminhos de relevância e legitimidade para suas propostas”, conta Aruan Braga, diretor do Observatório de Favelas.

Sobre o retorno da iniciativa para a Maré, ele tem boas expectativas: “é um concurso de ideias e não necessariamente haverá uma aplicação prática do que for proposto, mas, muito além disso, a Maré e as favelas de um modo geral serão pensadas como referências de urbanidade. O concurso contribui para reposicionar e resignificar a Maré em nível global. Também acredito que o diálogo com pessoas de outras formações, com outras culturas e trajetórias, poderá contribuir com o trabalho que já vimos fazendo nas favelas. A diversidade é muito potente para a construção de soluções”.

Júri especial

Para compor o júri do concurso foram convidados profissionais de prestígio internacional, entre eles o colombiano Elkin Velasquez Monsalve, diretor regional da Agência das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (UN-Habitat) para América Latina e Caribe, Nadia Tromp, da África do Sul, diretora do Programa de Trabalho da UIA Arquitetura Comunitária e Direitos Humanos, e Alejandro Echeverri, que, como Secretário de Desenvolvimento Urbano de Medellín, entre 2004 e 2008, foi um dos principais responsáveis pela transformação social daquela cidade colombiana. Completam o time os brasileiros Verena Andreatta, doutora em Urbanismo e Ordenação do Território pela Universidade Politécnica da Catalunha, em Barcelona, e autora do livro Cidades Quadradas, Paraísos Circulares, e Gustavo Utrabo, do escritório Aleph Zero, autor do premiado projeto Moradas Infantis, no Tocantins.

Participantes

Poderão participar do concurso estudantes de Arquitetura de todo o mundo, desde que estejam cursando regularmente a disciplina. O concurso aceita equipes multidisciplinares de até cinco membros, porém só poderão assinar os trabalhos como autores ou coautores os estudantes de Arquitetura, Arquitetura Paisagística, Urbanismo, Design Urbano e Planejamento Urbano. Estudantes de outras áreas profissionais poderão assinar como membros de equipe, colaboradores ou consultores. Cada estudante poderá participar de apenas uma solução concorrente.

Todos os trabalhos terão que ser apresentados em inglês, idioma oficial do concurso, e deverão levar em conta a integração entre o Complexo da Maré e o restante da cidade e a relação com a Avenida Brasil, com propostas de novas conexões e cruzamentos.

O edital do Concurso Internacional de Ideias Maré-Cidade está disponível (apenas em inglês) no endereço https://www.uia2020rio.archi/concurso_en.asp#itemA1.


Iraci Helena de Oliveira Falavina

A Carta de Serviços ao Cidadão do CAU, lançada em fevereiro de 2017, foi reeditada. A nova versão conta com 57 serviços, sendo 44 deles revisões de itens já existentes. Na publicação, disponível no endereço caubr.gov.br/cartadeservicos, estão detalhados os  principais atividades oferecidas pelo Conselho ao profissional e à sociedade, incluindo as instruções e prazos para utilizá-los.

Clique aqui e conheça a Carta de Serviços ao Cidadão do CAU

Na carta, a sociedade tem acesso a informações detalhadas sobre os principais serviços oferecidos, os canais de comunicação e os padrões de atendimento do Conselho, para que alcance a plenitude dos seus direitos e deveres em relação às atividades de Arquitetura e Urbanismo em território nacional, seja enquanto profissional, contratante ou cidadão interessado.

A Carta de Serviços ao Cidadão do CAU está divida em dez capítulos, sendo eles: Autenticidade de Registros, Documentos e Resoluções; Denúncias e Fiscalização; Pagamentos e Ressarcimentos; Tabela de Honorários; Registro no CAU e Carteira de Identidade Profissional; Registro de Responsabilidade Técnica (RRT); Registro de Direitos Autorais (RDA); Certidões e Declarações; Acesso a Informações Públicas e Dados Sobre a Profissão; Canais de Atendimento e Contatos.

Nos nove primeiros capítulos, estão elencados em categorias os principais serviços oferecidos pelo Conselho ao profissional e à sociedade, incluindo requisitos e prazos para acessá-los.

Os 13 novos serviços incluídos na reedição da carta são: Parcelamento de multa ética; solicitação de isenção de anuidade por doença grave; prorrogação de vencimento de anuidade por lesão a bens devido a situação calamitosa; interrupção de registro de empresa; reativação de registro profissional; desligamento de profissional; prorrogação de Registro Provisório; inclusão de profissional como Responsável Técnico ou Quadro Técnico em Empresa; baixa de profissional como Responsável Técnico ou Quadro Técnico em Empresa; exclusão de RRT; emissão de Declaração de Conclusão de Serviço; emissão de Declaração de Responsabilidade Técnica Profissional; emissão de Certidão para as Atividades de Georreferenciamento e correlatas.

O décimo e último capítulo aborda as formas de comunicação com o arquiteto e urbanista e qualquer membro da sociedade que eventualmente venha requerer um dos serviços prestados pelo Conselho, como Teleatendimento Qualificado, a Ouvidoria e o Atendimento à Imprensa. Estão listados também os telefones, e-mails, sites, endereços das sedes dos CAU em todo o país e horários de atendimento ao público.

A Carta de Serviços ao Cidadão foi desenvolvida pelas equipes do CAU/BR e do Centro de Serviços Compartilhados do CAU, com apoio do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização (Gespública).

Fonte: CAU/BR


Iraci Helena de Oliveira Falavina

A partir de 1º de fevereiro de 2020, arquitetos e urbanistas catarinenses deverão emitir os Planos de Prevenção e Proteção contra Incêndios (PPCIs) de suas obras exclusivamente por meio digital. A decisão foi anunciada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina através da Nota Técnica nº 47/2019, a fim de simplificar o processo de parecer dos PPCIs — documento que é obrigatório para obtenção do Alvará de Localização de imóveis.

Os arquitetos e urbanistas registrados no CAU são habilitados para elaborar e executar projetos e obras de atividades relacionadas à segurança contra incêndio. Através do conjunto de ações previstas nos Planos, os profissionais garantem mais segurança em espaços público e privados, resguardando vidas e reduzindo danos ao meio ambiente e ao patrimônio.

Com as novas normas, os profissionais interessados devem acessar a área de Análise de Projetos do site do Corpo de Bombeiros. No link, é necessário preencher o formulário com dados solicitados e depois anexar os seguintes documentos: Comprovante de recolhimento de taxa de análise de PPCI, se for o caso; Requerimento padrão de análise; RRTs relativas à elaboração do PPCI; Jogo de pranchas do projeto arquitetônico completo; Jogo de pranchas do PPCI; Memorial de cálculo de dimensionamento dos sistemas preventivos.

Leia a Nota Técnica nº 47/2019, que dispõe sobre o processo de análise digital de PPCI no âmbito do CBMSC.